quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Alter do Chão - Pará

Alter do Chão fica no Pará, nossa ida lá foi nas férias, um dos nossos roteiros, saímos de Jericoacoara e seguimos para Alter do Chão.

Viajamos de avião até Belém e de lá pegamos um táxi até Alter do Chão. No caminho o taxista foi conversando e já contando um pouco de Alter do Chão, disse que está melhorando muito o vilarejo, que o Senac deu um curso para preparar melhor o atendimento de hotelaria e gastronomia.

Alter do Chão é um vilarejo mesmo, muito pequeno, com poucas opções de hotéis e restaurantes, mas é rodeado pelo Rio Tapajós, água doce não falta.

O lugar em se tratando de natureza é maravilhoso, fomos em janeiro e o rio estava começando a encher, mesmo assim pegamos praia e deu para passear bastante pelo Rio Tapajós. A praia principal se chama Praia do Amor e para chegar até ela é nadando ou de barquinhos, o trecho é pequeno e rápido para atravessar.

A estrutura de restaurantes na praia é péssima, não tem muita opção, somente ambulantes que ficam vendendo uns doces regionais, chips de banana da terra, coisas desse tipo.

Na praça principal tem um mercado que tem caixa eletrônico da caixa e andando um pouco saindo do vilarejo tem um outro 24hs, mas que nenhum dia tinha dinheiro, então vá prevenido, porque muitos locais não aceitam cartão, a grande maioria.
Ficamos 4 dias em Alter do Chão, não tinha mais o que fazer, mas pelo menos deu para descansar bastante porque o lugar é uma paz.

Então vamos às dicas:

Hotel
 
Hotel Mirante da Ilha - Muito bom hotel, bem próximo da praça principal. Tem uma vista completa da praia do amor e de toda extensão do rio Tapajós. Os quartos são confortáveis, com ar condicionado bom, importante ter um ar condicionado bom porque o calor é de matar. Café da manhã é no terraço, com vista para toda Alter do Chão, tem variedade e muita comida regional, frutas e quitandas. Tem um restaurante do hotel que é mediano, mas para mim foi o melhor lugar que comi em Alter do Chão... imagina rsrs

Restaurantes:

Mirante da Ilha - Estava como o mais bem votado no tripadvisor, mas não é tudo isso não. Vale pela vista, porque o restaurante é de frente para a praia do amor. Comemos lá um caldinho de tucupi de entrada e prato principal peixe ilha dos macacos, peixe recheado com farofa de banana, até que o peixe estava bom mas o caldinho de tucupi não foi possível comer tudo, foi só para experimentar a comida local. Tem que ir comendo e abanando os mosquitos, é assim em todos os restaurantes ao ar livre de Alter do Chão. Não aceita cartão, nem débito.

Café com Arte - é a mistura de uma loja de artesanatos com restaurante, lá já tem um cardápio melhor, a comida é mais bem apresentada e tem umas combinações ótimas. Provamos lá a caipvodka de pitaia, uma fruta da região. Indico muito um hambúrguer caseiro e o prato de filhote(tipo de peixe da região) com quiabo assado, muito gostoso, os sucos naturais são deliciosos também. Foi neste que provamos o verdadeiro, tradicional açaí do Pará que dizem que eles comem com farinha e comem mesmo, o gosto é péssimo. As sobremesas também são diferentes e gostosas. Quando provamos e perguntamos porque o açaí de lá era assim, o nativo disse, que o açaí sempre foi assim, nós que mudamos o açaí, ficou bravo rsrs. Abre só a noite, tem música ao vivo e aceita cartão.


Lagoa Verde - este é o pior restaurante de Alter do Chão, é barato mas não vale a pena. Comemos uma peixada, mas na hora que chegou não imaginávamos o que era... tinha pedaços de peixe mergulhados em um caldo ralo, com ovos inteiros com casca dentro. Sem contar os milhões de mosquitos que sempre tem, isso normal, mas lá como eles não recolhiam os pratos sujos das mesas e não limpavam, iam acumulando. O atendimento então nem se fala, toda hora tinha que levantar da mesa para pedir alguma coisa porque a garçonete não ia na mesa não. Tenso.
 
Restaurante Hotel Farol da Ilha - jantamos um dia e almoçamos lá em outro. Atendimento bom, comida boa e sem mosquitos. Restaurante fica fechado com ar condicionado por isso não tem mosquitos. A comida demora um pouco mas é normal também em Alter do Chão, por fim eu já estava no ritmo deles, lento lento rsrsr Pedimos peixe Pirarucu ao molho de camarão com purê de batata e salada. Aceita cartão e é aberto para quem não é hospede também.
 
Passeios

Praia do Amor - a Praia do Amor é a praia principal, pra falar a verdade a praia nem é grandes coisas, a natureza ao redor que é muito bonito. Os quiosques estavam fechados ou só vendiam cerveja, ficavam alguns ambulantes vendendo chips de banana, salgadinhos e uns doces típicos de lá, eu não comi nada disso. Algumas pessoas levavam as coisas para praia, que no fim de semana fica com muita gente de Belém que vai passar fim de semana, aí a praia fica mais cheia, tirando fim de semana, a praia era quase privativa para nós rsrs Aproveitamos para explorar um pouco a região da praia caminhando.



Praia Ponta da Pedra - tiramos um dia para ir até a praia da ponta da praia que disseram ser maravilhoso. Valeu pela aventura no barco, aquelas voadoras, foi uma aventura e tanta, o mar estava mais bravo e o barco furava as ondas e molhava a gente todo, dava medo também, mas tudo deu certo. A distância é grande até a praia, ao chegar lá almoçamos em uma barraca de praia e percebemos como o ser humano é sem educação, a praia cheia de latas de cerveja, infelizmente... 
Também sofremos com os mosquitos na hora do almoço, mas a fome era tanta que o peixe estava maravilhoso.

Ver os botos do Rio Tapajós - na volta da praia da ponta da pedra, fomos no lugar no meio do rio Tapajós que os botos aparecem, mas eles pulam muito rápido quase que não dá pra ver. Eu consegui filmar ele algumas vezes, mas ele aparece bem rápido, mas é legal assim mesmo!

Lagoa Verde - a lagoa verde conhecemos também no caminho de ida à ponta da pedra. O barco vai entrando no meio do mato, depois temos que andar com a água no meio da cintura até a hora que sai nessa lagoa gigante com a água verdinha de longe mas transparente de perto. Eu só coloquei o pé na água, fiquei meio com medo, o barqueiro disse que pode ter cobra e outros bichos.


Alter do Chão é uma beleza exótica, cultura e gastronomia muito diferente valeu muito por conhecer, em um lugar como Alter do Chão é que percebemos que como o Brasil é um país de muitas culturas e que são tão pouco explorados ainda!!!

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Manaus - AM

Vou contar um pouco dessa vez de Manaus-AM.
Minha ida em Manaus foi bem rápida, passamos 2 noites por lá, foi bem rápido mas acho que foi mais que suficiente.

Primeira coisa, é tomar a vacina contra Malária, antes de viajar para Manaus, principalmente se quer fazer os passeios pela mata amazônica.
Manaus é bem quente, abafado e tivemos sorte de não pegar chuva, a não ser a das 17hs, todos os dias chove no mesmo horário, chuva passageira. Como ficamos pouco tempo, conheci o Mercado, o Teatro, o Porto e fizemos o passeio do encontro das águas e outros que contarei mais abaixo. 

O centro de Manaus dá até medo, um monte de camelôs, ambulantes, ruas sujas, um pessimo aspecto, pior que os turistas para chegar ao porto precisam passar pelo centro, acho que deviam melhorar essa parte da cidade.

Conhecemos alguns restaurantes, e experimentamos um pouquinho da culinária amazonense.

Vamos às dicas então!!!

Hotel
Hotel Millennium -  Também fizemos a reserva deste hotel pelo Booking.com. O hotel é estilo flat, possui uma mini cozinha com microondas, pia e frigobar além de ar condicionado, TV a cabo, banheiro espaçoso, quarto bem amplo. A área de lazer é livre, com piscina, sauna e academia de ginástica. O hotel fica anexo a um Shopping, isso foi excelente porque até clinica médica tem no shopping, além de restaurantes, etc... O hotel possui estacionamento para os clientes e tem entrada pelo shopping e pela rua, tem um restaurante do hotel que serve o café da manhã que é perfeito e serve pratos a la carte de almoço e jantar. Ah, sem contar a localização que é muito boa, usamos táxi para ir em todos os lugares e o Hotel central ajudou a não ficar tão caro as corridas.

Passeios

 
Teatro Amazonas -  Esse teatro vale muito a pena conhecer, tivemos sorte de no dia que chegamos ia ter um concerto patrocinado pelo Guaraná Antartica gratuito. Fomos de táxi até o Teatro, foi bem rapidinho do hotel até lá, mas chegamos e estava uma fila enorme, afinal era de graça rsrs. Bom, o Teatro é muito bonito, bem luxuoso, muito bem conservado e ainda com os detalhes perfeitos da época da sua construção, o Ciclo da Borracha. O Teatro lotou e conseguimos um lugar bem nas cadeiras do camarote, de frente para o pauco, mas só assistimos a primeira parte do concerto, não tivemos muita paciência rsr

No segundo dia, fomos fazer alguns passeios e nos foi indicado a Agência de Turismo, Paisagens Turismo, mas não indico essa empresa, mas como só tinhamos esse dia todo para fazer os passeios, não tivemos escolha, pois a agência que me pareceu séria, a Amazon Explorers, que possui uma lancha própria para os passeios não fazia todos os passeios que queriámos em um só dia. Essa agência Paisagens Turismo, não possui barco então nos vendem o pacote e nos levam até o porto e chegando lá somos entregues ao barqueiro que é dono do barco e quem nos guiará por todo passeio, não achei muito seguro, tinha turistas estrangeiros que se sentiram enganados porque informaram que teriam guia durante todos os passeios falando inglês com eles, mas o barqueiro não falava nem o português direito, mas no fim tudo deu certo. Vou falar um pouquinho agora de cada parte desse dia de passeio por Manaus.

Passeio de barco pelas águas do Rio Negro -  O tour começa subindo o Rio Negro com vista da ponte Rio Negro, é um bom tempo subindo o rio até chegarmos à Tribo Indigena. O rio realmente honra o nome que tem, é muito escuro, negro mesmo.
                                               
Tribo Indígena - chegamos de barco até uma pequena comunidade indigena que segundo informações do "guia", o barqueiro, muitos abandonaram as terras para receber auxílio do governo e não podem retornar mais, sendo assim, a tribo é bem pequena e parece que é até um cenário de novela, não parece muito com uma tribo. 
Logo na chegada, tem um árvore bem grande que é famosa por lembrar um corpo de mulher, como na foto ao lado. Para chegar até a oca onde será feito um ritual indígena, temos que subir por uma trilha pela mata, mas o caminho é bem tranquilo, com escadas, ponte de madeira, bem
arrumadinho rsrs. Ao chegar no alto, vi que tinha a oca do ritual e ao lado tinha umas plantações e mais uma oca.Começou o ritual então, o chefe da tribo já bem velho e viajado conta com um pouco das tradições dessa tribo e em seguida fazem uma dança deles e nos chamam para dançar com eles, todos com poucas roupas e as mulheres até sem as partes de cima rsrs os homens são tão fortes que eu acho que devem ter alguns aparelhos de musculação por lá... rsrs depois de toda apresentação, fotos e filmagens, os indios trazem seus artesanatos para vender, não vi nada legal pra comprar além de tudo caro. Por fim, vi o barqueiro pagando ao chefe da tribo rsrs não deixa de ser um trabalho, é tudo muito bem preparado para atrair turistas, mas é interessante, tem que ir conhecer.

Lago Janauari - famoso pelas vitória-regias é onde paramos também para almoçar, conhecer o artesanato flutuante, que são várias barracas de artesanato em cima de uma balsa gigante e o restaurante também é flutuante. Após o almoço quem quiser pode passar o tempo com pescaria, tem uns peixinhos só pra divertir mesmo, depois pegamos uma trilha para conhecer a maior árvore da Amazônia e uma das maiores do mundo a Samaúma , mas antes de chegar nessa árvore, quase somos carregados pelos pernilongos no caminho, e pernilongos gigantes, é muito importante levar repelente e é claro tomar a vacina contra febre amarela, na volta eu voltei correndo porque não estava aguentando mais o ataque dos pernilongos, mas tudo vale a pena para conhecer essas curiosidades do nosso país. Na trilha também podemos ver macaco e pássaros. 



Boto cor de rosa - No mesmo passeio fizemos o passeio para ver e nadar com os botos, tem muitos botos, nem todos cor de rosa, mas conseguimos ver os cor de rosa, realmente são lindos, os gringos ficaram loucos e entraram no rio do jeito que estavam, nem se preocuparam com roupas de banho, eu preferi não entrar no rio, me contaram que o esgoto da casa flutuante que também é uma lanchonete, cai direto nesse rio e é bem próximo de onde os botos ficam para pegar o peixe e brincarem com os turistas. Mesmo não nadando com os botos, o passeio só para vê-los já vale a pena!!! Dizem que tem um outro local que os botos também aparecem e não corre o risco de ter esgoto próximo, mas não sei onde e qual agência de turismo faz esse passeio.



Visita às casas ribeirinhas, para fotografar com os bichos - A última parte do passeio é quando visitamos uma casa ribeirinha e lá ficam cobras, jacaré e preguiças. Logo que o barco para na bera da casa, a moça já vai buscar a jibóia dentro de casa, dizem que ela mora dentro de um quarto dessa casa, mas eu duvido. Depois da cobra eles trouxeram um filhote de jacaré, deu até dó, o bicho tava até mole, muito novinho, parece que todos os dias eles saem para pegar esses bichos. A preguiça não pudemos pegar porque ela estava nervosa, o menino tinha acabado de pegá-la na mata, vimos ele chegando com ela de barco, ela tava até machucada e também era filhote, essa parte de ver os bichos é interessante, mas não é nada ambientalmente correto. Não é cobrado um valor fixo para ver e nem para tirar fotos com os bichos, cada pessoa dá o que acha que vale ou merecem receber.











Encontro das Águas - Antes de voltar ao porto de Manaus descemos o rio Negro de encontro ao rio Solimões, o famoso encontro das águas, encontro do Rio Negro com o Solimões, é incrível a natureza, os rios não se misturam mesmo.










 
Restaurantes

Picanha Mania - Fomos no Picanha Mania almoçar no dia que chegamos, fica no shopping anexo ao Hotel e é um ótimo restaurante. Comemos carne e acompanhamentos, nada de diferente. O preço é normal, igual de BH mesmo! Indico para um almoço rápido caso fiquem hospedados no Hotel Millenniun ou não, pois tem esse restaurante em outros locais de Manaus também.

Banzeiro - A noite do primeiro dia, logo após concerto no Teatro Amazonas fomos jantar no Banzeiro, considerado pelo Tripadvisor o melhor de Manaus. É muito bom realmente, mas não é barato. Chegamos e tinha fila de espera, muitos turistas e executivos. Entrada tomamos um caldinho de peixe, cortesia da casa, comemos também pasteis de camarão e jantamos peixe, que é o forte da casa!!! Muito bom atendimento.

Choupana - No dia seguinte, após um dia cansativo de passeios, fomos jantar no Choupana, que também está na lista dos melhores de Manaus, na cozinha regional. Entrada também serviram caldinho de peixe como cortesia, uma delicia. Choupana o prato principal de lá são as peixadas e as comidas regionais em geral. Restaurante muito aconchegante, ótimo atendimento e a comida é maravilhosa!!!



 
Lenhador - Último dia, antes de ir embora, no caminho do aeroporto, fomos almoçar no Lenhador, indicação de um taxista. Queriamos comer carnes exóticas e esse é o único restaurante de Manaus que tem permissão de vender esse tipo de comida. Comemos, tartaruga, cordeiro, jacaré, pirarucu e arraia, tem muita variedade, inclusive, frango, boi e porco rsrs É uma ótima idéia ir lá antes de ir embora, já está no caminho do aeroporto mesmo, porque é um pouquinho longe!!!!




É isso pessoal, Manaus não precisa de mais de 3 dias para conhecer os principais pontos turísticos, mas quem tiver mais uns dias, com certeza tem mais coisas interessantes a fazer!!! Mais um cantinho do Brasil que conheci, mais cultura, culinária e história na minha bagagem!!!

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Jericoacoara - Fortaleza

Ah... estou eu aqui novamente falando das minhas férias!!!! Dessa vez pelo Brasil mesmo!
Jericoacoara é um paraíso natural, é um parque nacional ainda muito preservado e que de uns 10 anos pra cá se desenvolveu e ficou super valorizado, muitos nativos venderam seus lotes a preços baixos para outros brasileiros e estrangeiros que montaram comércios e pousadas, existe um grande número de italianos e franceses lá, muitos donos de restaurantes e de pousadas e até de agências de turismo local. Fomos para Jeri na segunda quinzena de janeiro, muito calor!

Saímos de Belo Horizonte voo da GOL com destino à Fortaleza, passamos a tarde e dormimos em Fortaleza e no dia seguinte bem cedinho fomos para Jeri. O caminho até Jeri foi muito cansativo, pegamos um transfer da Girafas Tour, mas o caminho chegando lá é simplesmente maravilhoso!!!!! Para chegar em Jeri passamos pelas dunas da Lagoa Seca, aí a ficha cai que você está a caminho do paraíso!

Jeri é perfeito para casais, família e turma de amigos, têm muitos passeios para fazer, forró, comida boa, receptividade, não dá vontade de ir embora.
Todas as manhãs fazíamos caminhada na beira da praia, tinha dia que dava pra ver até os peixes porque a maré fica baixa e formam as piscinas naturais e os peixinhos ficam presos nelas, o sol é forte mas como venta muito a caminhada é super agradável, no fim do dia íamos passeando até a duna do pôr do sol, muito lindo!!!

Então vamos às dicas:

Hotéis e Pousadas

Todos hotéis e pousadas foram reservados via booking.com, nunca tive nenhum problema.

Hotel Intercity Fortaleza - ótimo hotel, com academia e piscina. Localizado de frente para praia, perto da feira dos pescadores e a um quarteirão do restaurante mais famoso de Fortaleza, o Coco Bambu, passamos uma noite somente, o café da manhã muito bom também!Tem wi-fi.

Hotel Luzeiros - Passamos duas noites neste hotel, achei melhor que o Intercity. Localizado de frente para praia também, com academia, piscina e sauna,quarto amplo, cama ótima e tem internet wi-fi. O café da manhã é perfeito, fica uma cozinheira por conta fazendo omeletes e tapiocas, doces e salgadas, foi a melhor tapioca que já comi de coco com leite condensado!!!


Pousada O Refugio - Essa pousada foi um achado!!! Fica em Jericoacoara. A pousada é de um francês e quem toma conta são dois moradores da região, bem atenciosos. 
A pousada possui somente dois quartos, um mais luxuoso e outro normal, mas muito bem decorado, com jardim de inverno dentro do banheiro, ar condicionado potente, isso é importante, a piscina tem hidromassagem e o café da manhã é servido separado na área que cada quarto tem, ótimo café da manhã, com frutas da região, crepes, mousses... tudo muito bom. Vale muito a pena, a pousada é muito bem localizada e muito nova.

Agências de Turismo

Girafas Tour - empresa de turismo que faz transfer de Fortaleza para Jericoacoara. A viagem é em um micro-ônibus, valor de R$ 60,00 por pessoa, tem outra forma de ir que é de Hilux, mas tem que ter mais um casal ou então tem que pagar R$450,00 sozinho, fizemos isso na volta porque a experiência da ida não foi boa. Tudo estava muito bom, até começar a ir de hotel em hotel para pegar os outros turistas e ter que ficar mais de uma hora esperando pessoas que não eram pontuais e a empresa também não importou a mínima com quem já estava naquele ônibus e iria fazer uma viagem longa, estava marcado pra sair de Fortaleza 9 horas, pegaram a gente no hotel 8 horas e só saímos de Fortaleza mais de 10 horas, um desrespeito, não indico essa empresa. Fomos com esse micro-ônibus até a cidade de Jijoca de Jericoacoara, porque para acabar de chegar em Jeri tinha que ser de caminhonete ou buggy, o combinado era que íamos chegar em Jijoca e o Luiz "Brad Pitt", como é conhecido o guia que nos ia levar até Jeri, já estaria nos esperando, mas não estava e ficamos no sol esperando as caminhonetes chegarem. A sorte é que depois a paisagem é tão maravilhosa que acabamos esquecendo todo esse mal estar.

Bares e Restaurantes
Fortaleza:

Sorveteria 50 Sabores - Tem em vários lugares de Fortaleza, só na orla da praia deve ter uma 3. Tomamos sorvete de Cajá, que é muito bom, de cupuaçu que é bem ruim, mucuripe ruim tb e siriguela achei ruim também rsrs, mas eu quis experimentar os sabores da região.

Barraca de Praia - foi o nosso primeiro almoço, acabamos de chegar e fomos nas barracas dos pescadores, fica bem na ponta da praia, por acaso em frente ao hotel que estávamos. Nessas barracas, nós escolhemos o peixe e ele é feito na hora, com o acompanhamento que quiser, o preço é muito bom e os peixes, lagosta e camarões bem frescos. Comemos um peixe e uma lagosta grelhada, muito gostoso, o problema é a quantidade de mosquito, isso da um pouco de irritação. Ficamos na barraca 47, o preço lá era mais barato, o pescador era o Tom. 
Coco Bambu - fomos jantar, restaurante indicado por vários blogs e amigos, além de ser o mais votado no tripadvisor. O lugar simplesmente lota, da fila de espera, é bom chegar cedo. Comemos o peixe serigalo com legumes, é o prato mais demorado, mas muito gostoso. O preço é salgado pelo que se é servido, pois o serigalo não é um peixe caro e o acompanhamento era somente legumes.

Flor de Sal - Por acaso resolvemos almoçar nesse lugar, fica na beira mar, estava cheio e o preço era bom, mas já no inicio do atendimento arrependi, quando chegou a comida então aff não indico.


Rei dos Mares - outra indicação que tivemos, mas foi decepção. O restaurante tem a parte da varanda, e interna climatizada, isso é bom, os preços são normais. Resolvemos pedir uma paella, demos azar, a cara da lagosta estava perfeita, muitos frutos do mar, mas na hora de cortar a lagosta, veio aquele cheiro de amônia, a cabeça até doeu de tão forte o cheiro, separamos a lagosta em um lado, o garçom percebeu e nos perguntou se estava alguma coisa errada com a lagosta, então falamos e ele disse que esse era o cheiro normal aff falando logo com quem come, conhece e adora uma lagosta, mas pediu uma nova, não adiantou veio da mesma forma e para completar no final falaram que o cartão estava com problema, isso é normal em fortaleza, falam que aceita cartão e na hora de pagar fala que está com problema, não aconteceu só uma vez. Não demos sorte em Fortaleza com restaurantes.

Boteco Praia - esse lugar salvou a reputação de Fortaleza, tirando os hotéis, isso foi o que valeu! O lugar é animado, fica lotado também, bem na beira mar. Interessante que eles ficam passando com mini porções dos tira gostos e você olha e vê se quer ou não, como se fosse um rodizio, achei legal porque da para variar e degustar coisas diferentes. Indico.

Jericoacoara:

Tortuga - No Tortuga tem show ao vivo todas as noites praticamente, ficava bem na rua da nossa pousada, fica lotado, o público é de jovens e o som vai até altas horas. Não tem muita variedade de comida, é mais bebidas, vários tipos de sucos e sanduíches!!! Ah é um bar familiar e o atendimento não é preparado para a lotação, então se quer comer algo, já chega e pede, porque demora e muito, isso quando não esquecem de fazer seu pedido.


Barraca de Praia do Alexandre - Jeri tem poucas barracas de praias, no máximo três e essa do Alexandre é a melhor para ficar durante o dia. Não cobram consumação mínima e os preços são bem normais, os banheiro super limpos, tem areia sempre que é impossível não ter em praia, mesas e cadeiras de madeira, ducha e bom atendimento.




Café Brasil - É um restaurante mais simples, mas a comida é gostosa, tomamos um açaí e comemos um sanduíche, estava tudo muito bom, lá diversos tipos de pratos, saladas, peixes e carnes, mas nada sofisticado.




Bar do Bigode - É o melhor custo beneficio de Jeri, o lugar é muito simples, mas a comida é uma delicia, melhor ainda que quem faz os passeios com o "Brad Pitt" o guia turístico, tem descontão no almoço ou jantar, com direito a um suco ou uma caipirinha grátis, fica bem no final do Beco do Forró.Nós pedimos o prato que vem lagosta, peixe e camarão, que vem arroz, feijão preto, batata frita e vinagrete de acompanhamento, por somente R$60,00, tudo é feito na brasa, os acompanhamentos é tudo novinho, fica sempre cheio também, mas também tem mosquitos, mesmo com muitos ventiladores, mas isso tem em todos os restaurantes durante o dia.

Pimenta Verde - Muito indicado pelo tripadivisor, realmente é um bom restaurante, almoçamos o prato indicado pela garçonete, camarão ao molho de catupiri e pimenta verde, muito bom mesmo, vem muito bem servidor e os camarões são grandes, mas como lá é bem pequeno, mesmo colocando mesas do lado de fora enche rápido e sempre tem fila de espera, a comida é sempre feita na hora, indico.

Tamarindo - O melhor de todos os restaurantes de Jeri, os donos são paulistas, tem um pé gigante de tamarindo na área do restaurante que tem boa parte do seu espaço ao ar livre. Fomos janar lá dois dias, comemos, peixe com rosti de macaxeira, moqueca de lagosta, macarrão com frutos do mar, todos pratos muito bem feito e bem servidos, só o vinho que é um preço mais caro, tem também pizza e outras variedades. 



Leonardo Da Vinci - O pior restaurante, o dono é um chef italiano e sua mulher brasileira, não indico. Atendimento péssimo, o garçom não conhecia os pratos da casa e não sabia nada dos vinhos. Fizemos nosso pedido, pratos individuais, um de macarrão com frutos do mar que veio parecendo uma sopa e meu namorado um peixe com legumes, os pratos levaram menos de 5 minutes pra chegar e vieram frios, ou seja, já estavam prontos e não tiveram nem o trabalho de esquentar, o restaurante engana pela aparência, o lugar é muito bem decorado, bem bonito além de ser italiano, nunca pensei em comer comida ruim de um chef italiano, decepção. Muito caro também, vinhos que em BH custam 40,00 em restaurante lá custava 90,00.



Kase Sushi Bar - O melhor japonês que já comi, tudo muito fresco, fazem seu pedido na hora e como fica sempre cheio, a chance de ter algum peixe velho é mínima. Passamos na porta do restaurante voltando da praia, e a condição foi de jantar lá caso estivesse movimentado, então a noite fomos lá e tinha fila de espera, mas até que a fila foi rápida, estava lotado de estrangeiros. Os pratos são bonitos, saborosos e não é caro.

Sorveteria Gelato - Custamos a descobrir essa sorveteria, ela fica na praça, bem próximo do restaurante Leonardo Da Vince, é uma sorveteria italiana, com sabores diferentes de sorvete, uma delicia!!!

Cantinho da Tapioca - Como eu adoro uma tapioca, não podia deixar de experimentar a de Jeri. Esse cantinho é bem perto do restaurante japonês, tem tapiocas doces e salgadas, eu só gosto das doces, pedi então uma de Nutella, não gostei, estava grossa a massa, fria e gomenta, não achei boa não.



Passeios

 Duna do Pôr do Sol - Todos os dias íamos caminhando e subíamos a Duna do Pôr do Sol, é muito lindo, parece que revigora as energias ficar ali parado esperando o sol se pôr, escutando o barulho do mar!!! Simples e lindo!!!

Velha e Nova Tatajuba - Este passeio é feito de buggy, uma aventura e tanto, o bugueiro sobe nas dunas mais altas com a gente no caminho até Tatajuba. Chegando na velha Tatajuba tem uma senhora que fica lá contando a história que as dunas cobriram a cidade e as pessoas tiveram que se mudar e formaram então a nova Tatajuba, que é uma cidade normal, alguns quilômetros de Jeri, tem também um artesanato pra comprar e só.

Mangue Seco - Mangue seco é no caminho indo para Lagoa torta, então passa por lá de qualquer  maneira. Atravessamos um rio, com água verdinha, lindo, em uma balsa, é bem rapidinho e já estamos no mangue seco, muitas árvores secas, a paisagem é bem bonita do contraste das dunas com as árvores secas e o mar.



Cavalo Marinho - Amei esse passeio,fomos até o local onde a gente vê o cavalo marinho de buggy, descemos e entramos em uma canoa com umas 10 pessoas, e o remador com um pau vai empurrando a canoa até ele ver um cavalo marinho, eles ficam pregados nas raízes das árvores que ficam embaixo d'água, pois na beirada do rio é tudo mangue, lotado de caranguejo! Então o remador quando via um cavalo marinho maior, ia com a garrafa pet de refrigerante e pegava ele para tirarmos foto e ver de perto, demos muita sorte que conseguimos pegar um cavalo marinho vermelho e o remador disse que eles são muito difíceis de achar porque a sua cor atrai os predadores! A natureza é perfeita, lindo o passeio.

Lagoa Torta - A famosa lagoa das redinhas rsrs pena que as lagoas estão bem baixas devido ao grande tempo que não chove em Jericoacoara. Fomos de buggy até lá e voltamos após o almoço, eu não animei almoçar lá, não achei muito limpo o lugar além de ter muitos caramujos na bera da lagoa, fiquei com medo de ter alguma doença então só deitamos na redinha para tirar foto e não ficamos dando boeira na água, mas tinha muita gente. Depois até pesquisei na internet e os caramujos que estavam lá não pareciam com os transmissor da esquistossomose, mas mesmo assim, eu não arriscaria.Dizem que na época de chuva, as lagoas ficam lindas, vou voltar lá ainda para ver isso!!!



Caminhada até a Pedra Furada - Fizemos a caminhada até o cartão postal de Jericoacoara, A Pedra Furada, o pessoal sai para caminhada de frente do Bar do Bigode, por volta de 17hs que o sol já está mais baixo. A caminhada dura em média 50 minutos pra ir e 50 pra voltar e é muito tranquila, é cada paisagem que vimos no caminho que vale muito a pena!!! Quem não quer caminhar ou na volta ficar com preguiça pode usar as charretes, mas é bem tranquila a caminhada. Só achei ruim o fato de ir muita gente, porque na hora de tirar uma foto bem na frente da pedra sem ninguém aparecer é bem difícil. A caminhada também pode ser feita na parte da manhã bem cedinho.




Essa foi mais uma das minhas viagens e espero que tenham gostado das dicas!!!! Não deixem de conhecer esse paraíso natural brasileiro!!!!