quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Itacaré - Bahia

Nossas primeiras férias de 2016 foi para a tão falada Itacaré. Ficamos 5 dias em Itacaré e 1 dia e 1 noite em Ilhéus.
No incio ficamos um pouco receosos de ir para Itacaré por causa do surto do zika vírus na região, mas a vontade de conhecer o lugar falou mais alto e fomo assim mesmo, é claro que a mala foi com bastante repelente!!!
A ida para Itacaré foi bem tranquila. Pegamos um voo direto até Ilhéus e seguimos para Itacaré de táxi. O táxi foi indicação da pousada que ficamos, e pagamos R$150,00, é um valor médio que é cobrado normalmente, mas é sempre bom ter uma indicação. Tem a opção de pegar um ônibus na rodoviária de Ilhéus, mas não acho que vale a pena, a economia deve ser pouca. Quando chegamos em Itacaré ficamos um pouco assustados porque o centrinho é bem feio e a primeira praia de Itacaré é muito feia, mas logo conversamos com o recepcionista da pousada que nos tranquilizou e deu boas dicas.
Ilhéus não tem muito o que fazer, mas ficamos em uma ótima pousada e conhecemos o centro histórico, famoso pela Gabriela, Maria Machadão, Bataclã e o quibe do Nacib.

Vamos então às nossas dicas!!!! 

Pousadas:

Pousada Abaré - Itacaré: Excelente pousada, aconchegante, com quartos grandes, com varanda e rede, com frigobar com bebidas a custo justo, ar condicionado split e tv a cabo. Os serviços de quarto são ótimos, limpam os quartos e trocam as toalhas todos os dias. No café da manhã tem grande variedade de pães, bolos e tapiocas, além do café da tarde que tem bolo e biscoitinhos com café e chá, achei uma grande gentileza. Teve dia que chegamos famintos dos passeios e o cafezinho da tarde nos salvou para esperar até o jantar. A pousada tem uma área da piscina muito gostosa com espreguiçadeiras de madeira e a água sempre morna devido ao calor que faz nessa Itacaré!!! 
Não posso esquecer de falar o gentil e atencioso Carlos, dono da pousada que estava sempre pronto para ajudar e que no dia do jogo do Atlético liberou o canal do jogo para assistirmos no quarto, porque era um canal que ficava liberado somente na sala de TV na área comum da pousada.
Único problema que tivemos, mas não é culpa da pousada, foram os pernilongos, Itacaré tem pernilongo demais, e eles não morrem nem com remédio, sem contar que como o pé direito do quarto era muito alto e com teto de madeira, ele ficavam acima de onde alcançávamos para jogar o remédio, a solução foi pedir para não limpar o quarto, para evitar que eles entrassem, então começaram a limpar sem abrir as janelas e com a porta fechada.
A localização da pousada é ótima. Ficando a 2 quarteirões da rua principal, onde ficam os comércios, lojas e restaurantes.

Pousada dos Hibiscus - Ilhéus: Ficamos somente uma noite. A pousada está localizada na região de praia da Ilhéus, mais perto do aeroporto, a 10 minutos do centro, se for de carro. A pousada é de um estrangeiro, possui estacionamento, restaurante e uma ótima área de piscina de frente para a praia, muito bem cuidada e bonita. Os quartos são mais simples, possuem ventilador e ar condicionado, no entanto o ar condicionado é bem barulhento. O café da manhã é bem fraco, sem opções. Vale muito a pena pela área da piscina e por estar de frente para a praia, mas se for ficar mais dias, não acho que dá pra dormir com ar condicionado tão barulhento. O restaurante serve almoço e jantar e possui serviço de bar na piscina, pontos positivos, apesar de que dependendo do que for querer almoçar o pedido deve ser feito no dia anterior e a janta o pedido deve ser feito na hora do almoço. 

Restaurantes, bares e barracas de praia:

Itacaré tem muitas opções de restaurantes e a grande maioria muito bem avaliados. Não posso dizer o mesmo de Ilhéus, que não agradei com nada que me foi indicado.

Itacaré

Manga Rosa: Nosso primeiro almoço logo na chegada à Itacaré foi no Manga Rosa, indicação de uma colega de trabalho e também da pousada,. Valeu a indicação e demos sorte que no dia todos restaurantes estavam servindo lagosta, parece que não é comum a pesca na região então não é sempre que tem ela fresca, e claro adoramos. Escolhemos então a lagosta grelhada ao molho tailandês,  que acompanha salada e arroz. Ponto negativo são alguns mosquitos e só vender cerveja long neck. O preço dos pratos são justos. Indico pra ir uma vez.

Cantina D'Itália: O que nos levou a este restaurante foi por estar cheio e pelos pratos de macarrão que vimos serem servidos, além do preço. É um restaurante mais simples, tem cerveja bem gelada de 600 ml, tem opção de massas e pizzas a la carte ou rodízio, então resolvemos arriscar o rodízio por R$28,00, com vários tipos de massas e de pizzas, boa opção pra quem tem muita fome e pouco dinheiro. Acabei comendo de gula para experimentar as massas, algumas boas outras nem tanto,mas não voltei mais. Tirando o cantor que ficava lá, bem desafinado, acho que é uma boa opção dependendo das condições e da fome também, caso contrário, Itacaré tem opções melhores.

Flor do Cacau: O melhor custo beneficio de Itacaré! Um restaurante muito simples mas que chamou a atenção por estar sempre cheio, no almoço e no jantar. Para confirmar consultamos se era bem avaliado na internet e estava muito bem avaliado!!! Almoçamos e jantamos algumas vezes lá, o nosso pedido predileto foi a moqueca de camarão, é perfeita, vem bastante camarão e acompanha um pirão delicioso, arroz, farofa de banana, feijão se quiser e salada. As refeições são muito bem servidas, os pratos para 2 pessoas, servem muito bem até 3 adultos. O forte do restaurante são os frutos do mar, mas também servem carne de boi e frango.Aceita cartão, não cobram 10% e tem cerveja de 600 ml.

Divino:Um restaurante mediano. Jantamos um prato chamado camarão bailandes, um prato muito bem servido de camarões rosa em uma cama de purê de banana da terra e molho de gengibre e mel. O atendimento poderia ser melhor, inicialmente estávamos sendo atendidos por uma atendente com a cara muito ruim, mas acho que perceberam o mal atendimento e trocaram a atendente. O dono estava presente e para variar é um estrangeiro. Aceita cartões de crédito e débito.

Espaço Brasil: Localizado também na avenida principal de Itacaré é um ótimo lugar para comer uma pizza e tomar alguns drinks. Fomos lá duas vezes comer pizza e tomas as deliciosas caip vodkas!!! Para quem não que comer pizza tem outras opções de saladas e carnes. Ótimo atendimento e aceita cartões de crédito e débito.

Flor de Sal: Restaurante já um pouco fora da avenida principal, fica na chamada Passarela da Vila e fomos pelas indicações nos sites de avaliação. O restaurante é de um mineiro que também é o chef de cozinha. O lugar super agradável, bem decorado, arejado, amplo e com a comida deliciosa e o atendimento ótimo. Neste dia ficamos sem saber o que pedir, de tantas boas opções, mas resolvemos pelo risoto de cogumelos com tornedor e um fetuccine Alfredo, acompanhado de um bom vinho tinto e a sobremesa um delicioso tiramissu! Eu brinquei que não tem como a comida ser ruim, já que o chef é mineiro e realmente, os legumes vieram no ponto correto e a carne também!!! Muito bom e super indico. Também aceita cartões de crédito e débito.

Passeios em Itacaré

Praias urbanas: conhecidas como praias urbanas, as praias do centro, localizadas bem perto da rua principal Pituba, foram nosso primeiro passeio. Indico ir em duas:  Tiririca (foto direita) a minha favorita, mais bem cuidada, limpa e mais bem frequentada, tem vendedores ambulantes de coco, cerveja, açaí, etc, mas que não aceitam cartão.
A segunda indicação das praias urbanas é a Ribeira (foto esquerda) que tem uma estrutura melhor de restaurante e aceita cartão, mas nos finais de semana fica mais cheia com nativos, eu achei um pouco mal frequentada.


Rafting: no segundo dia, fomos nos aventurar no rafting. Contratamos o passeio com a Ativa Rafting, indicada pelo dono da pousada. Pagamos o valor de R$230,00 o casal, com direito a um CD com as fotos do passeio. Existem outras empresas, mas a Ativa Rafting já é uma empresa conhecida e possui uma estrutura melhor com banheiro e lanchonete na base e que fica a beira do rio, as demais, a base não fica perto do rio.Acho que vale muito fazer o passeio, é uma aventura e tanto, mas achei muito seguro. Demos um pouco de azar porque tinha chovido uns dias antes e o rio estava cor de barro, mas o normal é o rio transparente. Antes de descer o rio são dadas instruções importantes de segurança e de como guiar o bote. Importante ir calçado e levar uma peça de roupa seca para trocar na
volta.

4 praias (Engenhoca, Havaizinho, Camboinha e Itacarezinho): um passeio delicioso que dura o dia inteiro, mas vale muito a pena. Para quem tiver oportunidade o ideal é alugar um carro para fazer esse passeio, para ficar o tempo que quiser em cada praia. As praias são as mais bonitas de Itacaré, simplesmente belíssimas!!!! O trajeto é de carro até chegar na trilha que leva à praia da Engenhoca. O passeio termina na cachoeira de Tijuípe.

Praia da Engenhoca: nossa primeira praia do passeio. Para chegar lá fazemos uma caminhada de 15 minutos por uma trilha. A praia é linda e ótima para banho, ficamos por lá por uma hora. Lá tem uma barraca que vende água de coco, açaí e tapiocas. Os surfistas também gostam dessa praia porque um lado da praia formam boas ondas.

Praia de Havaizinho: o lugar faz valer o nome, é lindo e as noivas adoram o lugar para tirar fotos, no dia que fomos dois casais estavam lá fotografando. É uma praia pouco frequentada devido a pequena faixa de areia, exceto na maré seca, e também por ter muitos recifes, além de ondas fortes. Lá tem os vendedores de bebidas e água coco. Ficamos muito pouco tempo mesmo, foi só de passagem e parada para tirar fotos da belíssima paisagem e seguimos com destino à praia de Itacarezinho, mas passando antes pela praia de Camboinha.

Praia de Camboinha: seguindo o caminho pela trilha, chegamos à praia de Camboinha, uma praia mais simples, com mar mais tranquilo e estava mais cheia. Fizemos uma parada só para descansar da caminhada, alguns aproveitaram para entrar no mar, ou tomar uma bebida, lá tem uma barraca que serve almoço e bebidas, e logo seguimos em frente pela caminhada mais longa até Itacarezinho.

Praia de Itacarezinho: A trilha para chegar até lá é bem ingrime, mas vale muito a pena a vista que vimos do alto!!! A praia é longa, cheia de coqueiros e com extensa faixa de areia. O mar tem locais bons para banhista, mas tem também uma parte que o mar fica com ondas mais altas. As opções de compra de bebidas são poucas, mas a melhor é a Itacarezinho restaurante, com uma ótima estrutura de restaurante, banheiros, quiosques. Para ficar lá tem que pagar o valor mínimo de consumação por pessoa de R$50,00, que não da para muita coisa com a cerveja 600 ml a R$16,00, água de coco R$10,00 e uma isca de peixa R$65,00, mas ainda sim acho que vale a pena o conforto. É a única das 4 praias que o carro chega até ela, inclusive tem estacionamento e foi de lá que o carro pegou a gente para ir embora. Com certeza a melhor praia de Itacaré.


Cachoeira do Tijuípe: antes de voltarmos para casa, após conhecer as 4 praias, tem uma parada na cachoeira do Tijuípe. Fazemos uma pequena caminha até chegar no local da cachoeira que é uma propriedade privada, com restaurante e várias piscinas naturais. Eu não curto muito cachoeiras, mas como já estava no caminho, tinha que conhecer também. A cachoeira é muito bem cuidada, só não tem as quedas de água, somente as piscinas naturais. Paga-se um valor para entrar, em média de R$5,00. Nas trilhas que existe dentro da área da cachoeira deve-se tomar cuidado com cobras e outros bichos, tivemos o prazer de ver uma cobra caindo da árvore.


4 ilhas (Goió, Campinho, Pedra Furada e Barra Grande): Um passeio muito cansativo, se eu soubesse não teria feito. O passeio dura o dia todo e um bom tempo é de locomoção. Para começar saímos de carro até Camumu, local onde pegamos a escuna, que por sinal muito barulhenta e que anda bem devagar. Com a tentativa de querer animar eles colocam musicas regionais, que eu por exemplo não sou muito fã, ainda mais no volume tão alto. Indico levar lanches e bebidas porque o passeio é muito longo e as ilhas não possuem estrutura boa para comer. Eu não indico o passeio, a não ser que tenha uma lancha rápida para ir nas ilhas e fazer o seu tempo da forma que quiser, caso contrário não percam o seu dia. A primeira ilha é a do Goió e a última a de Barra Grande. O percurso pode variar de acordo com a agência.

Ilha do Goió: Foi a nossa primeira parada. O nome da ilha é o nome do seu proprietário e único morador da ilha. Não é uma ilha muito grande, mas com uma vista muito bonita, acho que poderia ser mais bem cuidada. Não precisa pagar para entrar, o dono só exige que o trate bem e que o cumprimente, caso contrário ele fica mau humorado. Para quem quiser tomar alguma coisa tem o bar dele, que serve também alguns petiscos. Neste local ficamos por 1 hora, mas acho que 30 minutos era o suficiente. É um bom lugar para nadar também por não ser fundo ao redor da ilha.

Ilha do Campinho: Essa parada ficamos também 1 hora, e também acho que podia ser só 30 minutos porque é uma região mais funda e só nada quem sabe mesmo, a parte mais rasa tem em média 2 metros, além de não tem opção de comprar bebida e comida. A paisagem é muita bonita, isso só vale a pena.

Ilha da Pedra Furada: Nessa hora eu já estava morrendo de fome, porque fomos os  únicos a não levar lanche, não fomos bem orientados pela agência. Quando chegamos nessa ilha, temos duas opções, ficar na parte de acesso comum ou pagar R$5,00 para conhecer a tal pedra furada. Como já estávamos lá, pagamos os R$5,00 e entramos para ver e tirar foto da pedra furada. O próprio guia do barco fala um pouco das pedras, explica que tem alguns nomes diferentes, algumas pedras que formam algumas imagens, nada de muito interessante.

Ilha Barra Grande: A última e maior ilha do passeio e a parada do almoço. Tem que pagar R$3,00 pra entrar. No caminho para ilha, o guia do barco nos mostra o cardápio e tentam já vender o almoço de determinado restaurante, é claro que não caímos nessa, e para variar não era a melhor opção do lugar para almoço e o preço que parecia bom ficou caro. Na verdade acho que lá não tem nenhum lugar bom para almoçar, nós optamos por comer um tira gosto e fizemos hora até dar o horário de ir embora. Foram 2 horas nessa ilha, 1 hora seria mais que o suficiente.

Essa foi nossa ida em Itacaré, lugar belíssimo e de muito fácil acesso. Voltarei com certeza!!!

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Florença, Firenze- Toscana, Itália

Continuando então a minhas férias na Itália, seguimos para Florença ou Firenze, como preferirem!!!
Fomos de ônibus até Florença, foi até uma boa ideia para aproveitar a paisagem, mas tem o lado ruim do ônibus ir parando muito. 
Como ficamos hospedados próximo da rodoviária, deu pra ir andando, tudo para economizar uns euros. Ficamos somente dois dias em Florença, mas acho que foi o suficiente, a não ser que você queira entrar em todas igrejas e museus, aí tem que ficar mais mesmo. No dia da chegada, deixamos as malas no hotel e fomos andar, conhecer os principais pontos turísticos. No segundo e último dia, deixamos nossas malas no maleiro da estação de trem e fomos conhecer um outro lado da cidade e almoçar antes de irmos embora para Veneza.
Florença é muito bonita, também tem o seu Duomo como em praticamente todas cidades da Itália e que por sinal é surpreendente, não dá pra acreditar na construção dessas gigantescas catedrais, as estátuas, galerias e a famosa Ponte Vecchio, mas Siena ainda é minha preferida.
Florença têm muitos ambulantes nas ruas, até que isso é normal na Itália, mas em Florença é mais, vimos muitos correndo do "rapa" como e dito no Brasil, quando a policia chega e recolhe a mercadoria dos que ficam vendendo bolsa, telas, relógios, etc e não possuem licença para tal, muitos escapam, como também muitos são pegos e se quer questionam os policiais, ou tentam agredir, correr, ao contrário, ficam parados de cabeça baixa, lá respeito é pouco pela policia. 

Vamos então às dicas:

Hospedagem

B & B Maison Bianca: Hospedagem simples, mas de ótimo custo beneficio, principalmente se for por poucos dias.Quarto grande, com ar condicionado, TV e frigobar. Deve-se observar quando reservar porque tem quarto com banheiro e também quartos sem banheiro, e neste último caso é necessário dividir o banheiro com outras pessoas. A vantagem é que são poucos quartos sem banheiro, então acho que se for ficar poucos dias, isso não é algo que atrapalhe muito e o banheiro fica sempre limpo. No nosso caso, reservamos quarto com banheiro mas, ao chegarmos não tinha mais, aí pagamos um valor bem menor pela falha, não criamos muito caso porque ficaríamos somente 2 dias, se fossem mais dias, acho que eu não animaria compartilhar o banheiro. A localização é boa, mas não fica muito próximo aos pontos turísticos, a uns 15 minutos de caminhada da estação de trem.

Restaurantes




Difícil é escolher em qual ir, são tantas opções!!! Vou falar dos principais que fomos e que são realmente diferenciados.
  






Vineria Il Chianti

Localizado na parte nova do Mercado Central de Florença, é uma opção pra quem quer tomar um vinho e comer uns embutidos e se quiser também levar umas garrafas pra mais tarde!!!

Trattoria Al Trebbio

Neste lugar comi a melhor lasanha da minha vida, sempre que lembro minha boca enche de água! Restaurante tradicional de Florença com um cardápio maravilhoso. Além da lasanha, experimentamos o ossobuco e a parmegiana (berinjela com presunto e queijo). Lá tem também a famosa bisteca Fiorentina. Ótima comida e ótimos preços, além do perfeito atendimento.


Principais Pontos Turísticos

Florença tem muito mais pontos turísticos do que os que vou falar aqui, além dos inúmeros museus que eu não tive oportunidade de ir devido ao tempo que fiquei lá, mas acho que fui nos mais conhecidos!

Ponte Vecchio

Localizada sobre o rio Arno, é famosa por ter várias lojas de jóias ao longo da ponte e o incrível que as portas das lojas são de vidro e elas não acordam arrombadas. Assim como em Paris, também há cadeados pendurados nas grades, tudo em nome do amor. Eu não comprei nada nas lojas, mas até quem não vai comprar vale a pena o passeio e se contentar em ver aquele tanto de joias.

Mercado Central (Mercato Centrale)

Eu achei fascinante o Mercado de Florença. A ideia de ter em um mesmo mercado a parte tradicional de um Mercado Central, com as vendas de matérias primas, frutas, verduras, plantas e demais coisas tipicas da região, tem também o segundo andar com uma estrutura fantástica de restaurantes e até um mini Eataly . Nós demos muita sorte e chegamos em Florença no dia da Final da Champions League entre Barcelo e Juventus, e o mercado estava lotado, nos sentimos italianos no meio de tanta gente torcendo, comendo e tomando vinho!!! A variedade de comidas é tanta, vai de comida vegana, vegetariana aos embutidos, pizzas, massas e etc, que ficamos sem saber o que comer, então experimentamos da pizza, dos salames e demais embutidos, e sorvete, além do chop e claro do vinho que foi o local e tradicional Chianti. Esse é um lugar que não pode deixar de ir, nós passamos a tarde toda lá!!!!


Duomo - Catedral

A Catedral de Santa Maria Del Fiore é o Duomo de Florença. Falam que ela pode acomodar até 30 mil pessoas. Realmente é uma construção gigantesca e linda nos detalhes. Não dá pra imaginar como foi feita com tanta perfeição e detalhes minuciosos a tantos séculos atrás. Uma parte do Duomo estava em reforma, a Itália preocupa muito com a manutenção de seus monumentos históricos. Não entrei na Catedral também porque era uma fila e tanto e não animei ficar esperando no sol!!! Dá para avistar o Duomo de vários pontos de Florença, é muito belo e impactante!!!



Galleria Degli Uffizi

Uma das maiores atrações turísticas e o mais famoso museu de Florença, além de ser um dos mais antigos e famosos da Itália, onde se encontram diversas obras de arte! A galeria é dividida em diversos ambientes, onde se encontram estatuas, esculturas, pinturas, todos de diversos artistas, incluindo Leonardo da Vinci e Michelangelo. A dica é comprar a entrada pela internet com o horário agendado para pegar somente uma fila, caso contrário terão que pegar fila para comprar e para entrar.Na parte da manhã fica mais cheio, como fui a tarde estava bem tranquilo a entrada. A Galeria é gigantesca, com muito sobe e desce de escadas. Para quem tiver muita fome dentro da Galleria tem um restaurante que por sinal possui um vista belíssima de Florença.


Santa Maria Novella 



É uma das praças de Florença que possui também uma Igreja do mesmo nome. Lá fizemos uma parada para descansar da caminhada e tomamos um chop até a hora de pegar o trem na estão que tem o mesmo nome da igreja e da praça.



Palazzo Pitti 

Não conhecemos por dentro mas é aberto ao público, não nos interessou muito enfrentar a fila para conhecer a parte interna, mas a construção é belíssima e deu para apreciar por fora!

             

Palazzo Vecchio 


Localizado na Piazza della Signoria, é a sede da prefeitura de Florença e acolhe também um museu dentro com entrada gratuita. Logo na entrada tem duas esculturas e uma dela é de Hércules e Caco, que chama bastante atenção!!! Essa praça é enorme e além do Palazzo Vecchio, fica uma multidão andando de um lado para o outro, é gente do mundo todo!!!




Florença, assim como outros locais da Itália, vou ter que voltar porque o tempo nunca será suficiente para conhecer tudo que existe de cultura e gastronomia!

Próxima parada Veneza!!!

sábado, 17 de outubro de 2015

San Gimignano - Toscana, Itália (San Giminiano)

Partimos no quarto dia de viagem para San Gimignano, já com uma grande expectativa, foi um dos lugares mais recomendados e a dona do B&B de Siena aumentou ainda mais a expectativa. 

Fomos de Siena para San Gimignano de ônibus, compramos o ticket na tabacaria que fica na praça onde saem os ônibus de Siena.

É uma viagem tranquila, o ônibus confortável e tem muitas paisagens para aproveitar no caminho!

Ao chegarmos a dona do La Pizonchere, o loft que ficamos hospedados, foi nos buscar no ponto do ônibus e nos levou até o loft. 

Não entra carro grande em San Gimignano, as ruas são bem estreitas e que sempre nos levam a uma grande praça, a uma igreja ou a uma vista maravilhosa da Toscana que cerca a cidade medieval cercada por muralhas ligadas por quatorze torres de pedra.


Então vamos às dicas de San Gimignano:

Hospedagem


La Pizonchere

Reservado pelo Booking.com, o La Pizonchere é um loft muito bem equipado com utensílios de cozinha, lava louça, fogão, geladeira e outros eletrodomésticos, suíte super confortável e a vista da cozinha é perfeita! 
O loft apesar de estar em uma cidade antiga, medieval, está super novo e conservado. A vantagem é que é bem no meio de San Gimignano, de fácil acesso para a região que está fora da muralha, como supermercado e rodoviária, como bem perto dos principais points de San Gimignano.
San Gimignano tem o Supermercado Coop, excelente!!! Compramos Brunello e Barolo (vinhos) a preços impossível de achar no Brasil, sem contar a bisteca Fiorentina, as frutas da região!!! Para quem gosta de cozinhar, que é o caso do Carlos (meu marido), ficar em apartamento tem essa vantagem!!!

A administradora do La Pizzontechere foi muito atenciosa, nos pegou no ponto de ônibus de carro e nos explicou tudinho do apto e deu também umas dicas da região. Tudo em Inglês!!! Tem um único detalhe que o pagamento é somente em dinheiro.

Principais Pontos Turísticos


Piazza Della Cisterna

Como o nome disse, a praça tem uma cisterna no meio e é o local das várias gelaterias de San Gimignano. Alguns dias da semana tem uma feira de artesanato, toalhas de mesas bordadas, roupas de cama, etc. Seguindo uma rua estreita atrás da cisterna, vai chegar na bera da muralha onde tem uma linda vista!!!
Duomo e Palazzo Comunale

Como em toda Itália, San Gimignano também tem seu Duomo!!

Via San Giovanni


É a via principal de San Gimignano, nela tem gelaterias, lojas de souvenirs, onde vendem os deliciosos biscoitos cantuccini, famosos para comer molhando no vinho após as refeições, tem também pizzarias que vendem pizza fatia e que atraem o turista pelo cheiro, deliciosas!!!


Piazza Sant'Agostinho 

Onde se encontra também a Igreja de Santo Agostinho.






O melhor sorvete do mundo

Gelateria Dondoli
Localizada, na Piazza Della Cisterna, é a sorveteria com os títulos de melhor sorvete do mundo de 2006 a 2009. Tomei na que e a atual campeã, mas gostei mais da Dandoli e o meu preferido foi o de baunilha. Depois de tomar o sorvete italiano fica difícil tomar sorvete no Brasil, realmente é diferente, todo mundo que toma fala e só experimentando para vera diferença!!!! Próximo dela tem várias outras sorveterias também, caso não tenha paciência de ficar na fila, já que é a única que dá fila, será porque hein.....


O Por do Sol


O por do sol acontece ao lado direito da cidade, dá para ver de vários pontos de dentro e fora da muralha, mas a vista pelo Museu do Vinho é incrível!!! Eu consegui ver de uma das entradas de San Gimignano, a Porta San Giovanni. Fomos correndo para o ponto alto da cidade para tentar ver melhor mas acabamos foi descobrindo o Museu do Vinho, onde a vista é perfeita e por do sol deve ser lindo!!!! 


Passeio Turístico

Brunello wine tour summer

No Ponto de informação turística de San Gimignano, localizado entre a Piazza Duomo e Piazza Della Cisterna, vende vários passeios turísticos. Infelizmente os horários e os dias não davam para fazer muita coisa, mas tivemos sorte e conseguimos fazer o passeio para degustação dos mai s famosos vinhos da região, o Brunello e Rosso. O passeio custa 60 euros por pessoa, inclui degustação de vários vinhos acompanhado de queijos e embutidos. O guia do passeio foi ótimo e conto várias historias por cada lugar que passávamos, foi muito válido o passeio pela história, por termos a oportunidade de conhecer bem uma região de produção de vinho e os vinhos também. Primeiro saímos de San Gimignano e passamos em Siena para pegar mais alguns passageiros e seguimos em direção à Montalcino, com uma parada na pequena Buonconvento. Depois de Buonconvento, fomos para a primeira degustação do vinho Rosso já em Montalcino, depois uma parada na praça principal de Montalcino para ver a vista da região toscana e dar uma passeada pelas ruas, comprar vinhos, tirar fotos, etc. Por fim, fomos fazer a mais conhecida degustação, a do Brunello.


Buonconvento

É como se fosse um vilarejo que tem o significado de comunidade feliz, afortunado, fica bem próximo também de Siena, e fizemos uma parada rápida para conhecer. Cercada por uma grande muralha no mesmo estilo de San Gimignano só que bem menor. Tem alguns restantes e hotéis, mas não ficamos por muito tempo já que o nosso primeiro destino era a degustação dos Vinhos em Montalcinho.


Montalcino


Fomos visitar Montalcino para conhecer a região de produção dos vinhos Rosso e Brunello. O caminho até lá tem lindas paisagens e até paradas para tirar fotos.

Primeira parada foi no Comune di Montalcino, como se fosse a praça principal de Montalcino. No Comune tem a Fortezza di Montalcino, como se fosse um forte e sua entrada é gratuita, mas se você quiser subir na torre do forte tem que pagar. 


Dentro da Fortezza possui uma enoteca onde se vende vinhos, queijos, embutidos e outros, para consumo imediato e também para levar pra casa. Essa enoteca também organiza a subida na torre do forte porque a escadaria ficar dentro dela. 

Demos uma pequena volta pelas ruas próximas ao Comune, compramos temperos italianos e vinhos!!!


Em seguida, seguimos para a primeira degustação do vinho Rosso, na propriedade Padelletti.

A degustação é feita de vinhos de safras diferentes, umas mais antigas e outras mais novas e é claro que os melhores são as safras mais antigas e são os mais caros também.

Está incluída na degustação, queijos, embutidos e pães.

Durante a degustação temos uma aula sobre a região e sobre o vinho Rosso e Brunello, dada por uma enóloga italiana com experiência e muitos estudos do vinho por vários locais do mundo.

No fim da degustação os vinhos degustados, as geléias, azeites e vinagres ficam disponíveis para compra e até existe a possibilidade de enviar via correio nos casos de compras em grande volume.


Partimos então para a melhor e mais esperada degustação.

Chegamos na Cantina di Abbadia Ardenga, uma Cantina Museu, onde fizemos a degustação do Brunello de Montalcino!!!

Antes da degustação fomos recepcionados por um senhor tipicamente italiano, não fala outra língua e é preciso que o guia traduza para o inglês enquanto ele conta as histórias da cantina, da região e da produção do vinho, até sobre as roupas e as mulheres da época de produção artesanal do vinho!!! Inclusive é bem galanteador também rsrrs Tudo não passa de um teatro, mas com muitas histórias para conhecer.

A Cantina realmente é um museu com os toneis gigantes de vinho, uma adega, com garrafas de Brunnelos centenárias, que fica fechada a sete chaves e fotografias históricas.


Fomos então para degustação dos Brunellos, realmente um vinho delicioso.

Fui para Itália pensando muito em tomar o famoso Barollo, mas o Brunello é tão bom quanto.
A degustação também inclui pães, queijos e embutidos em fartura.

Ao fim da degustação tem também as opções de compra ou encomenda dos vinhos. Não comprei nenhum porque os preços são maiores que nos supermercados.

Adoramos o passeio. Além da experiência de degustar os vinhos, tem também a cultura local e como é um passeio em grupo, conversamos com muitas pessoas de partes diferentes do mundo e que são adoradores de vinho!!!

Voltamos já no fim da tarde para San Gimignano e curtimos o restinho da cidade, já que, no dia seguinte, bem cedinho, fomos para Florença!!!

 Próximo destino Florença!!!